26.8.18

Minha primeira experiência comprando da China + Dicas práticas


Eu sempre tive muito receio em comprar pela internet, principalmente porque meu CEP tem um problema e já tive experiências de compras não chegarem. Porém, certo dia baixei o aplicativo do AliExpress, mais para ver as coisas do que com intenção de comprar mesmo; foi aí que passei preciosos minutos da minha vida sonhando com coisas inúteis – porém fantásticas – que têm no site chinês.
É verdade, os preços são fantásticos, mas a melhor parte é que se vende todo tipo de tranqueira incrível que não se encontra na minha cidade, e quando encontra é um preço absurdo! Para vocês terem noção da variedade, tem desde tapetes até erva para gatos (inclusive, 3 reais no Ali e 10 reais no petshop).
Tive um pouco de resistência inicialmente, até porque a China não tem as melhores leis trabalhistas (é, eu tô sendo eufêmica), além dos casos de trabalho escravo ou quase escravo serem bem comuns lá. Então dei uma pesquisada, e vi que comprar lá seria válido desde que não fossem preços absurdos demais – como uma blusa por 5 dólares – e também optando por vendedores mais confiáveis.
É válido lembrar que grande maioria das coisas que compramos no Brasil (e também nos Estados Unidos) foram fabricadas lá de qualquer forma, só que recheadas com impostos locais (no caso do Brasil, absurdos). Então pra fugir completamente da possibilidade de incentivar situações trabalhistas precárias, só comprando diretamente das pessoas que produzem, e em trabalhos mais artesanais (o que consiste numa compra mais responsável), porém ainda é difícil encontrar variedade neste tipo de mercado.
Eu fugi um pouco do assunto, talvez.
Em maio, no dia das Mães, a minha digníssima queria um relógio. Eu, como uma boa universitária lascada, estava com zero condições de comprar um de marca para ela. Até mesmo os chineses são uns 60 reais na minha cidade! Foi aí que resolvi fazer uma compra experimental no AliExpress.

19.8.18

Formas fantásticas de cultivar a sua saúde mental


Dia após dia, tarefa após tarefa, acordar e dormir, noites de insônia. Dias de felicidade enorme, que dá vontade de ser uma daquelas pessoas que vivem cada momento, o famigerado Carpe Diem; e dias de tristeza profunda, que dão a impressão de que nunca mais vamos ser felizes da forma que fomos no passado; além daqueles irritantes dias da vida no automático, que nada entrega brilho em nossos olhos. Bem, meus amigos, eu já tive todos esses tipos de dias; e tenho quase certeza que vocês também.
Ataque de Pânico, Transtorno Obsessivo-Compulsivo, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Trantornos Alimentares, Depressão.... É assustador ler esses nomes, não? Mas são extremamente frequentes. Inclusive, tenho muitos conhecidos e pessoas próximas com pelo menos um desses problemas; se bobear, eu mesma tenho um deles, mesmo que não diagnosticado.
Esse é, afinal, o mal da nossa geração. Redes sociais, preconceitos enraizados em nós e em nossos familiares, ou a rotina que nos deixa na corda bamba equilibrando estudar, fazer exercícios, comer, ter um hobbie, manter relacionamentos. Vai ver, simplesmente a evolução do ser humano estava fadada a isso? Não sei, afinal, eu mal posso explicar o que prejudica a minha própria saúde mental, imagina de uma geração inteira.
Então qual o sentido desse post? É simplesmente ajudar quem está numa situação similar, nem que seja um pouco. Afinal, chegar na saúde mental desejada é algo cultivado aos poucos, baby steps, e não um grande acontecimento que vai elevar a sua vida à um eterno nirvana.
A lista de hoje será de pequenos passos que ajudarão você a cultivar sua saúde mental diariamente, baseados na minha experiência de tentar ser mais feliz, além de algumas pesquisas (links no final) e de conversas que tive com pessoas fantásticas. 
Antes de tudo, vale lembrar:
- Qualquer texto/manual de internet não substitui uma ida ao psicólogo! Todos deveriam ir, principalmente quem está com a saúde mental prejudicada e/ou inesistente.
- Talvez nem tudo aqui ajude você, é tentativa e erro, baby.
- Talvez você já saiba disso se está interessado nesse post, mas saúde mental é TÃO importante quanto a física, e ambas se afetam mutuamente. Só pra lembrar. ;)

1. Mantenha cuidados pessoais: seu corpo e sua alimentação afetam diretamente na sua mente. Exercícios físicos ajudam na liberação de endorfinas, além de distraírem nossa mente, e também comer bem nos deixa bem. Caminhadas curtas, aula de yoga do youtube, se lembrar de beber água, comer uma fruta por dia... pequenos passos dados todos os dias nos levam longe.

5.10.17

Desenhos animados que você deveria ver

Assistir filmes e séries é um dos maiores passatempos da nossa geração, principalmente com a popularização do torrent da Netflix. Eu também gosto muito, como a maioria das pessoas, mas normalmente eu prefiro assistir programas mais curtinhos e menos pretensiosos, mais para relaxar a cabeça.
Tudo bem, eu admito que meu maior guilty pleasure é assistir desenhos. Minha televisão 90% do tempo está no Cartoon Network, e até mesmo quando vou para a casa dos outros (e o nível de intimidade permite) eu mudo para um desenho.
Não me leve a mal, gosto muito de assistir um filme cult que me faça perder tempinho tentando interpretar para depois jogar na cara da sociedade o quanto eu sou hipster e alterna (essa última parte não é verdade, e não faça isso, é muito chato). Inclusive um dos meus filmes favoritos de 2016 foi Donnie Darko. Mas na grande maioria do tempo eu só quero ver algo para me distrair e me divertir.
E se você, assim como eu, não liga em ser "adulto" e mesmo assim ver desenhos, e além disso, já nem liga para quando seus pais dizem que você deveria parar de perder tempo com isso e ver jornal; ou quando seus amigos falam para você ver aquela série super cabeça da Netflix (oi Black Mirror que eu nunca me interessei) e deixar seu Irmão do Jorel de lado; seja bem-vindo a este post.
OBS.: Não tenho nada contra jornais e séries cabeça da Netflix, beijos.

 
Os Simpsons
Cliché? COM CERTEZA. A série mais "adultinha", que tem tantos episódios que eu já considero infinita. Eu admito que não entendo 100% das piadas (principalmente dos episódios mais antigos), mas adoro. E ainda posso argumentar que têm várias críticas sociais inclusas. Minha personagem favorita é a Lisa, com certeza. (A série não tem na Netflix, mas tem o filme).

Scooby-Doo Mistério S.A.
Gente, eu não sei como essa série de Scooby Doo não bombou, talvez tenha sido pela abordagem diferente das outras séries. Aqui os episódios são interligados e seguem um enredo, como se fosse uma série mesmo, tem até tramas românticas e alguns dramas, mas tudo no estilo clássico de Scooby Doo. São só duas temporadas, mas eu queria taaaanto que tivessem outras. Mas não se preocupe, não foi cancelada, e sim terminada, então tem início e fim. (Não tem na Netflix, mas vocês acham na internet fácil).

Apenas Um Show
Chegamos num clássico da nova geração do Cartoon. Se você gosta de referências da cultura Pop, ficção científica, burritos e todo tipo de viagem que a cabeça humana pode inventar, este é O DESENHO. Foi o meu desenho favorito por muito tempo, e só perdeu para o próximo da lista. A série foi finalizada com 8 temporadas, dentre as quais vi as 5 primeiras e o início da sexta - estou adiando por que não quero terminar. (Tem a 5 e a 6 no Netflix, e passa toda hora no cartoon, principalmente de noite).

O Incrível Mundo de Gumball
Sim, meu favorito. Gente, que desenho maravilhoso!! Primeiro que a técnica de animação é uma característica única do desenho, é misturado animação feita à mão, CGI, imagens reais, etc. (inclusive a Susie é a gravação do queixo da atriz). Segundo que as piadas são hilárias, os personagens são muito cativantes e os enredos são bastante inteligentes. Já vi todos os episódios lançados no Brasil (não vejo legendado na internet por que eu realmente gosto da dublagem brasileira); a série tem 5 temporadas, sendo que a quinta está sendo lançada agora no cartoon brasileiro - toda segunda, às oito horas. (No Netflix tem a segunda, terceira e quarta).

Gravity Falls
Para finalizar com chave de ouro, uma série da Disney!! Essa eu comecei a ver e achei tão fantástica que convenci meu namorado a ver também, e é claro que ele gostou. Se você der uma chance para a série, não vai se arrepender. 1) Personagens muito bem feitos e carismáticos; 2) Enredo simplesmente foda, temáticas meio illuminatti com direito a códigos diferentes em cada fim de episódio para decifrar; 3) Piadas simples, porém muito boas. São apenas 2 temporadas, do tipo que acaba e você chora querendo mais. (Tem as duas no Netflix, mas a segunda não está completa.).

Bônus: Rick e Morty
É um desenho que tenho interesse! Um amigo recomendou bastante e achei bem legal. Sinopse:
Rick Sanchez é um cientista que foi morar com a família de sua filha (Beth), uma cirurgiã cardíaca de equinos. Ele divide seu tempo entre desenvolver projetos altamente tecnológicos em seu laboratório (garagem da casa de Beth) e levar seu neto de 14 anos Morty em aventuras perigosas e surreais pelo Multiverso.


E por hoje é isso! Vocês deveriam dar uma chance para essas séries. E eu vou assistir Rick e Morty e digo se gostei no futuro. Até o próximo post.

28.9.17

Posts que gostei de escrever

Foto aleatória do meu Instagram
Vocês acharam que eu não ia rebolar minha bunda postar hoje??
Pois bem, eu não tinha abandonado o blog não, galera (mentira, eu tinha); peço perdão e vou tentar não fazer de novo (provavelmente vou, considerando que, em meio de um lapso de loucura, me matriculei em nove disciplinas na universidade este semestre e só vou viver para estudar).
Hoje falarei de alguns posts especiais do blog, que me deixaram satisfeita e feliz por ter escrito! Faço isso justamente para me lembrar do quanto eu gosto desse hobbie e também para dar uma divulgada nestes posts que considero tão bons! Vai lá dar uma visualizada, meu bem.